domingo, 15 de janeiro de 2017

Quanto paga o convênio para o Psicólogo?



Olá caros amigos Psicólogos(as) e estudantes de Psicologia.

Você sabe quanto um convênio de saúde paga por sessão para o Psicólogo?

Se você não possui ideia de quanto é a remuneração, está no lugar certo.

Antes de mais de nada, quero deixar claro que não estou defendendo nenhum convênio, apenas passando informações, para ajudar você profissional que as vezes cogita a possibilidade de adentrar esse mundo, saber onde está pisando e se compensa ou não para você investir tempo e dinheiro.

Hoje, os maiores convênios do país pagam na faixa de R$ 20,00 a R$ 50,00 dependendo do contrato firmado, lembrando que existe variação de preços para cada procedimento, sendo um valor por exemplo para Psicoterapia Individual e outro para em Grupo.

A primeira vista pode parecer pouco, mas tenha em mente os benefícios que você recebe em troca como:

  • Divulgação gratuita. Seu nome e sua clínica sendo divulgado gratuitamente no site da empresa;
  • Garantia de recebimento de honorários. Com o mesmo você tem um faturamento e uma data de pagamento garantidos;
  • Recebimento das sessões caso o paciente falte injustificadamente;
  • Redução do numero de desistências. Com o convênio, como o paciente já tem as sessões autorizadas, torna-se mais difícil o mesmo abandonar;
  • Numero de sessões pré-aprovadas. O convênio normalmente aprova 10 sessões inicialmente, o que já te dá uma garantia de trabalho e possibilidade de planejamento das sessões;
Portanto, percebe-se que mesmo tendo uma remuneração abaixo do que se cobra no modelo particular, o profissional recebe inúmeros benefícios o que lhe assegura certa tranquilidade para trabalhar.

Além disso, o convênio pode ser uma estratégia para tornar seu trabalho conhecido e no futuro, já tendo sua cliente-la, focar no atendimento particular.

Sendo assim, esse é um panorama do que se paga hoje para os psicólogos pelos convênios.

Jean Santana
Psicólogo
CRP 06/114804

3 comentários:

  1. Jean,

    Agradeço seu texto, que traz informações úteis e abre espaço para pensarmos os reais benefícios dos convênios, mas faço minhas ponderações:

    - Divulgação gratuita: para alguns pode ser uma propaganda negativa;

    - Garantia de recebimento de honorários: OK, desde que o convênio pague em dia, o que ás vezes não acontece.

    - Recebimento das sessões caso o paciente falte injustificadamente: na clínica particular eu cobro as faltas, inclusive justificadas.

    - Redução do número de desistências: OK, até que acabem as guias pré-aprovadas, quando então o paciente pode abandonar um tratamento ainda no início.

    - Numero de sessões pré-aprovadas: uma baita interferência em nossa técnica, já que não é o convênio e muito menos um médico quem está apto a avaliar o número de sessões necessárias ao tratamento de cada paciente.

    E por fim, deixo a questão: será que não estamos sendo coniventes com uma interferência externa que perverte nossa prática, pois delimita número de sessões, desvaloriza nosso trabalho, nos submete à "autoridade" médica, e ainda pode contribuir para manter muitos pacientes em um quadro sintomático, justificado pelas limitações de seu plano de saúde?

    Pra se pensar...

    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Raquel

      Agradeço seus comentários ao meu texto, mas gostaria de também fazer algumas considerações.

      Você disse que a divulgação gratuita em alguns casos pode ser negativa. Não consigo ver pontos negativos em uma divulgação em que seu nome e seu trabalho é exposto em uma nominata e site, sendo divulgado 24 horas por dia, sem o mínimo esforço do profissional, para milhares de possíveis clientes e tudo isso sem gastar nada com marketing.

      Com relação a honorários, o que garante seu recebimento é um documento chamado faturamento, emitido pelo profissional para cobrar as sessões e também o contrato de prestação de serviços firmado. Concordo que em raras situações pode ocorrer um atraso, mas deixar de receber, seria muito difícil. Não conheço ninguém que deixou de receber. No modelo particular se o paciente optar por não pagar, não tem como receber.

      Com relação as guias e a diminuição das desistências. Concordo que o paciente particular pode a qualquer momento abandonar o tratamento, entretanto, ele tem em mente que o convênio irá cobrar dele aquelas guias autorizadas. Já falando sobre o término das guias aprovadas, nada lhe impede de solicitar mais, se for negada, o paciente tem a possibilidade de continuar o tratamento no modelo particular.

      Para finalizar, você disse que o convênio ou o médico interfere no nosso trabalho. Posso dizer a você com bastante propriedade que até o momento não senti nenhuma interferência em minha atuação. Os contratos que tenho firmado em nenhum deles prevê por exemplo redução do tempo de sessão, ou necessidade de um encaminhamento médico para que o paciente possa iniciar a psicoterapia. Existem convênios que interferem sim no nosso trabalho, mas como em qualquer relação de prestação de serviço o profissional possui livre escolha sobre com quem deseja ou não trabalhar e ainda, se sentir algum desconforto o contrato pode ser reincidido a qualquer momento.

      Vejo muito mais instituições de representação de classe interferindo em nosso trabalho do que os convênios em si.

      Excluir
  2. Ola Jean, interessante as colocações, mais interessante ainda ao vc responder a Raquel. Gostaria muito de saber como faço para obter essas informações dos planos, não faço ideia dos canais e se ainda estão assim. Obrigada.

    ResponderExcluir